Ensino Pré-escolar

A Lei-Quadro da Educação Pré-Escolar (Lei nº5/97, de 10 de Fevereiro) estabelece como princípio geral que “a educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica no processo de educação ao longo da vida, sendo complementar da ação educativa da família, com a qual deve estabelecer estreita relação, favorecendo a formação e o desenvolvimento da criança, tendo em vista a sua plena inserção na sociedade como ser autónomo, livre e solidário”.

A educação Pré-Escolar no Centro Infantil N. Sra do Carmo destina-se a crianças com idades compreendidas entre os 3 e os 6 anos, distribuídas por cinco salas, devidamente equipadas.

O trabalho desenvolvido pelo grupo de educadoras rege-se pelas OCEPE, emitidas em 1997, pelo Ministério da Educação, pelas Brochuras da Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, assim como as Metas Finais para a Educação Pré-Escolar, que  esclarecem e explicitam as “condições favoráveis para o sucesso escolar” indicadas nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar.

Realçamos uma ideia presente nas “Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar”, que está sempre presente no nosso dia-a-dia – “privilegiar o desenvolvimento da criança e a construção articulada do saber, numa abordagem integrada e globalizante das diferentes áreas”.

Desta forma, o trabalho desenvolve-se essencialmente à volta de pequenos e grandes projetos, centrados na sala, integrando a vertente da colaboração e divulgação das crianças das diferentes salas do pré-escolar.

O desenvolvimento destes projetos permite trabalhar de forma global e integrada as áreas de conteúdo - Expressão e Comunicação, Formação Pessoal e Social, Linguagem Oral e Abordagem à Escrita, Matemática, Conhecimento do Mundo e Tecnologias da Informação e Comunicação.

Temos ainda de mencionar, pela importância que lhe atribuímos, dois dos nossos objetivos - fomentar o envolvimento dos pais e das famílias na vida da instituição e incentivar o trabalho de equipa entre educadores, auxiliares e restantes colaboradores da Instituição.

Esta interação, cooperação e reflexão, entre os diferentes parceiros educativos, privilegiando ainda o estreitamento da relação com entidades oficiais e parcerias, constitui uma mais-valia no sentido do desenvolvimento e das aprendizagens das crianças.